Qualidade e Segurança

GIMI conquista Acreditação da ONA em suas duas unidades

Em 2019, o GIMI conquistou a Acreditação (nível 1) da Organização Nacional de Acreditação (ONA) em suas duas unidades localizadas na região da Penha e Pompéia.

A Acreditação é um método de avaliação e certificação que busca, por meio de padrões e requisitos previamente definidos, promover a qualidade e a segurança da assistência no setor de saúde.

Para ser acreditada, o GIMI comprovou atender aos padrões definidos pela ONA, reconhecidos internacionalmente.

SEGURANÇA DO PACIENTE É RESPONSABILIDADE DE TODOS NÓS

O GIMI busca seguir os Padrões Internacionais de Meta de Segurança do Paciente, quais sejam:

META I – IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE

Garantir processo de identificação do paciente para a prevenção da ocorrência por enganos. Todas as equipes de atendimento ao paciente são responsáveis pela identificação correta dos pacientes.

META II – Melhorar a comunicação entre os profissionais

Garantir a comunicação efetiva entre os profissionais e com os pacientes sendo transparente utilizando ferramentas da qualidade.

META III – Melhorar Segurança dos Medicamentos

Garantir a administração e conservação correta dos medicamentos controlar através de Controle de Lote, Notificações da Anvisa, correta administração dos medicamentos.

META IV – Garantir o procedimento e preparo correto no paciente

Garantir que o procedimento seja feito corretamente fortalecendo a confirmação do preparo do paciente para a garantia de resultados corretos, cadastro correto dos exames,  conferência dos exames cadastrados, adequação das amostras biológicas.

META V – Reduzir o risco de infecção associado ao cuidado

Garantir a conscientização dos funcionários sobre os Riscos Ocupacionais, aplicar o Protocolo de Higienização das Mãos, prevenir os acidentes de trabalho bem com outras atribuições da Norma Regulamentadora 32, promover campanhas vacinais e realizar o controle de vacinas dos colaboradores e médicos.

Meta VI – Reduzir o risco de danos aos pacientes resultantes de queda

Promover ambiente seguro para os pacientes e realizar a identificação dos pacientes de grupo de risco de queda, treinar e conscientizar todos os funcionários para a identificação do risco de queda e se acontecer qual é a assistência que deve ser aplicada e como realizar a comunicação da queda.

  1. Receber um atendimento cordial, respeitoso, humanizado e atencioso, livre de preconceitos de raça, etnia, credo, sexo, idade, origem ou quaisquer outros tipos de preconceito por parte dos nossos colaboradores.
  2. Ser identificado através de seu nome e sobrenome, ou nome social, e não pelo número de sua senha, nome de sua patologia, apelidos, ou quaisquer outras formas impróprias, preconceituosas ou desrespeitosas.
  3. Ter assegurada sua integridade física e moral, sua segurança, individualidade e privacidade, bem como respeitado por seus valores culturais, morais e éticos, e preservadas a sua imagem e identidade.
  4. Sempre que necessitar, e em qualquer situação, receber auxílio de um profissional que esteja presente no local e devidamente habilitado de acordo com a sua necessidade, de forma a garantir seu bem-estar, conforto e segurança.
  5. Expressar sua insatisfação, queixas e preocupações aos setores responsáveis na instituição, através do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), e receber informações, orientações e esclarecimentos pertinentes de acordo com as normas vigentes.
  6. Ter acesso a todos os procedimentos diagnósticos oferecidos pela empresa, desde que sua realização seja previamente indicada por um médico responsável, quando assim for necessário.
  7. Ter acesso ao detalhamento da cobrança de seus exames, quando realizados sob regime particular.
  8. Receber orientações e esclarecimentos acerca de documentos e/ou formulários que porventura sejam apresentados para a sua assinatura, de forma a demonstrar seu entendimento claro e consciente para uma opção segura.
  9. Ser esclarecido quanto aos riscos e benefícios do procedimento que compõe o diagnóstico, podendo aceitar ou não realizá-lo.
  10. Consentir ou recusar a realização dos procedimentos diagnósticos, após ter sido devidamente informado e esclarecido, sem que lhe sejam aplicadas sanções legais ou morais.
  11. Ter assegurada a confidencialidade de seu diagnóstico e os resultados de seus exames laboratoriais ou de imagem e tudo aquilo que, mesmo desconhecido pelo próprio paciente, possa o profissional que atua na empresa ter acesso através do histórico do paciente.
  12. Se paciente menor de 18 anos de idade, ter como representantes de seus interesses a mãe, o pai ou o responsável legal, que poderá participar ativamente das decisões acerca dos procedimentos diagnósticos, sendo diretamente orientado e esclarecido, exceto quando existir determinação judicial que diga ao contrário.
  1. Buscar informações para tomar ciência de todas as condições de atendimento na Instituição.
  2. Conhecer e respeitar todas as normas vigentes do GIMI.
  3. Ter em mãos os documentos oficiais com foto, necessários para o atendimento, bem como apresentá-los sempre que solicitado.
  4. Honrar com seu compromisso financeiro e saldar suas despesas provenientes de procedimentos diagnósticos ou quaisquer serviços prestados pelo GIMI.
  5. Providenciar toda a documentação necessária para autorização do atendimento perante seu convênio médico, bem como entregar as guias de autorização de procedimentos que tiver na sua posse.
  6. Respeitar os direitos dos demais pacientes e profissionais da instituição, tratando-os de forma civilizada e cortês.
  7. Zelar pelo patrimônio privado do GIMI colocado à sua disposição, visando seu conforto e o dos demais pacientes durante o período de atendimento.
  8. Não fumar nas dependências do GIMI.
  9. Nos casos de pacientes menores de 18 anos, os deveres acima mencionados deverão ser seguidos também pelos seus pais e/ou responsáveis.
  10. Informar se compreendeu todas as orientações recebidas, e questionar em caso de dúvidas.
  11. Assumir a responsabilidade pela recusa na realização dos procedimentos, ou descumprimento das orientações prestadas pelos profissionais.

A higienização das mãos é uma das medidas mais importantes para promover a segurança de pacientes e demais usuários dos serviços de saúde. O hábito de Higienização das Mãos é uma das medidas mais importantes para promover a segurança de pacientes e demais usuários dos serviços de saúde, pois previne e reduz infecções.

‎Dica: a Lavagem de Mãos é uma medida simples, econômica e eficaz na prevenção de doenças e infecções. Confira dicas para lavar as mãos corretamente:

1° Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia. 2° Aplique na palma da mão quantidade suficiente de sabonete para cobrir todas as superfícies das mãos. 3° Ensaboe as palmas das mãos, friccionando-as entre si. 4° Esfregue a palma de uma mão contra o dorso da outra, entrelaçando os dedos. 5° Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos, com movimento de vai e vem. 6° Esfregue o polegar de uma mão com auxílio da outra, utilizando movimentos circulares. 7° Esfregue, com movimentos circulares, um dos punhos com o auxílio da palma da mão oposta. 8° Enxágue as mãos, evitando contato direto das mãos ensaboadas com a torneira. Se não for possível abrir a torneira sem o uso das mãos, utilize um pedaço de papel. 9° Seque as mãos com papel-toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos. 10° Utilize o álcool em gel. Ele é eficaz contra todos os tipos de germes (incluindo o vírus da gripe H1N1), além de matar 99,99% das bactérias.

No GIMI, a avaliação do risco é realizada diariamente, a partir da admissão na Recepção, com base nas condições clínicas e necessidades do paciente (cadeirantes, dificuldades de marcha, deficientes visuais etc.).

O nosso ambiente é projetado para diminuir o risco das quedas relacionadas a estrutura física e mobiliário (rampas de acesso, banheiros adaptados, algumas macas de exames rebaixadas).

O resultado desta ação é monitorado por meio do indicador de  NC´s Segurança do paciente – incidência de queda em pacientes.

Todas as equipes de atendimento ao paciente são responsáveis em oferecer cadeiras de rodas e auxiliar os pacientes identificados durante o posicionamento do exame, se possível na presença de um acompanhante e/ou familiares.